Faca no Coração


É FACA NO CORAÇÃO, faca no reto, olhos em chamas, o tesão nas algemas, na cama, no mais insaciável e incontrolável desejo, um filme possuído por SHORTBUS, SUSPIRIA e BOOGIE NIGHTS e tudo junto e misturado. É uma orgia ao olhar. Tem boy. Tem girl. Tem drag. Tem até urso. É sussurro no ouvido, beijos no cangote e cueca na boca. É giallo orquestrado nos anos 70, Agatha Christie na indústria pornô e todos a mercê do corvo cego, à sombra de Jack, o estuprador, o assassino que nos esfaqueia com seu consolo gigante. Ame ou deixe, isso será sua maldição, o enredo de “Homocidal” ou, então, um filme (de) cult(o) em cinemas decadentes. É puro prazer. Então, pleasure guilt.

A ideia reúne os exóticos clichês da pornografia e é baseado no conto de uma velha atriz francesa, ela alcoólatra, lésbica e perdidamente apaixonada pela montadora dos seus filmes. O que Yann Gonzalez faz, é subverter a trama, a doçura dOS ENCONTROS DA MEIA-NOITE em algo mais selvagem, urbano, diria empolgante. E o faz nesse cinema extravagante, algo entre Pedro Almodóvar e Xavier Dolan, num acampamento erótico sem limites, donde nada é proibido e, portanto, ali seus personagens se perdem (e literalmente) no labirinto frívolo da euforia, energia e emoção.

E conforme a projeção avança, o filme cada vez mais divertido e mais doido, tal qual um trem fantasma em um clube disco, o público “voyeur” se deleita com as assombrações de Vanessa Paradis e sua trupe, a própria protagonista, seus homens e todos à beira de um ataque de nervos com os golpes repentinos, inesperados, essa FACA NO CORAÇÃO, o coração partido, a atriz desolada, devastada pelo amor que se foi e talvez nunca voltará. O resto é a violência e os fogos de artificio, o desastre e a paixão. Um filme de gênero, fantasia e horror em uma galáxia de influências, de Werner Schroeter à Paul Vecchiali, de Fassbinder à Brian De Palma, e donde Gonzalez se inspira, filma e solta um grito de amor e raiva, ali fincado em metacinema como uma faca na mesa.

RATING: 69/100

TRAILER

Article Categories:
REVIEW · CANNES · RIO · MIX BRASIL

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.