De Longe te Observo

DESDE ALLA


De longe, ele observa. De longe, ele deseja. Desde o inicio, DESDE ALLÁ, se olha, mas não se toca: Um homem em torno de um rapaz, um homem em torno de um velho. E nós, o publico, também o observamos pelo filme, a câmera de Lorenzo Vigas colada aos seus passos, em cada ato, vontade ou segredo. Um alguém invisível, cercado por pessoas que não o enxergam, a vagar pelas cenas fora de foco, o campo distorcido de Caracas, aparecendo e desaparecendo de nossa percepção. Ninguém. Nada. Silêncio.

E eis o fascínio, senão o fetiche desse cinema-voyeur admirado de longe, de perto, ao redor de dois mundos, desse homem, desse rapaz, o caos entre eles, os traumas, a violência, os pais que se foram, ambos prisioneiros de algo no passado. E assim, sempre em distância, mas num bom senso de narrativa, o cineasta filma cada fantasma, primeiro os limites entre os personagens, isso no início de seu relacionamento, da obsessão que surge entre eles, do choque violento que inflama o desejo, ou a dependência. Depois, num tom mais psicológico, quase um flerte à síndrome de Estocolmo, a ilusão de “ter” pai, “ser” pai, e dai algo mais intenso, emocional. Diria IRREVERSÍVEL.

E na tela, Alfredo Castro e Luís Silva, Armando e Elder, pai e filho, machos alfa e beta. De um lado, um ator experiente, no auge do oficio, vivendo um personagem aparentemente tranquilo, mas cuja serenidade é apenas a camuflagem para um emaranhado de emoções, todas ali presentes no olhar, na raiva oculta que jamais cicatriza. E do outro, um garoto, 19 anos, primeiro filme, e já de cara, na primeira cena, um impulso animal, certa malandragem e também um carisma onipresente que, aos poucos, também se percebe pelos olhos negros.

Desse casting, surge uma tensão natural, ali filmada em ordem cronológica, sem ensaio, total improviso e cuja energia, cada vez mais intensa, culmina num final surpreendente que orbita entre o carinho, a orientação, até a completa disciplina e controle. E então, um terceiro elemento surge do nada, um velho que se observa, talvez o tormento, possivelmente a causa. Como libertar-se desse homem? Não é possível. E assim fica claro, sem quaisquer palavras, apenas o testemunho de alguém que observa de longe. DE LONGE TE OBSERVO, um tiroteio, outro fantasma. Silêncio. Fim.

RATING: 77/100

TRAILER

Article Categories:
FILMES · MIX BRASIL · MOSTRA SP · SAN SEBASTIAN · TIFF · VENEZA

Deixe uma resposta