Mundo Oscar 2008 | Edição de Som

Quanto mais barulhento melhor… Será? Ao menos essa é a tendência nos últimos 15 anos no Oscar de Edição de Som, outrora Efeitos Sonoros. E nesse ano, em reconhecimento a evolução da qualidade de som no cinema, a Academia reconheceu cinco indicados, ao invés dos costumeiros três. Sorte dos blockbusters! Eternos preferidos. Outra curiosidade é que nem sempre o prêmio é compartilhado com o de Mixagem de Som.

Antes de comentar os indicados, vale explicar o que é Som (Mixagem) e Som (Edição): Som basicamente é toda a trilha sonora do filme. É bom não confundir Trilha Musical com Trilha Sonora. Trilha Sonora inclui tudo: ruídos, diálogos, ou seja, o som final já mixado, já a Trilha Musical são as composições musicais criadas para o filme. A Edição de Som é basicamente a montagem de uma trilha sonora que não existe e não poderia ser obtida de forma natural. Sendo necessário uma “edição” de sons previamente existentes para obter algo totalmente novo. Se é complicado explicar, imagine discernir a mixagem da edição…


TRANSFORMERS
Ethan Van der Ryn & Mike Hopkins
Trailer | Crítica | Site Oficial

Uma grande referência nas categoria de Edição de Som está no DVD de O RESGATE DO SOLDADO RYAN, na sequência do desembarque aliado na praia da Normandia, num espetacular trabalho de edição de efeitos sonoros (o zunido de balas debaixo d’água, o personagem de Tom Hanks ensurdecendo por alguns segundos, as explosões bem ritmadas, de forma que o resultado não se torne insuportável para o expectador). É um exemplo claro de um recurso técnico do cinema que seria o equivalente auditivo aos efeitos visuais.


RATATOUILLE
Randy Thom & Michael Silvers
Trailer | Crítica | Site Oficial

Outra caracteristica marcante é que a maioria dos filmes indicados e premiados na categoria têm roteiro com cenas em alto-mar: (MESTRE DOS MARES (2004); PEARL HARBOR (2002); U571-A BATALHA DO ATLÂNTICO (2001); O RESGATE DO SOLDADO RYAN (1999); TITANIC (1998); CAÇADA AO OUTUBRO VERMELHO (1991)…


O ÚLTIMATO BOURNE
Karen Baker Landers & Per Hallberg
Trailer | Crítica | Site Oficial

O Oscar de Melhor Edição de Som é sempre concedido aos diretores dos departamentos de som do estúdio que produziu o filme. A primeira estatueta da categoria foi dada a Douglas Shearer, pelo filme o PRESÍDIO.


ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ
Skip Lievsay
Trailer | Crítica | Site Oficial

Ethan Van der Ryn & Mike Hopkins são os atuais favorítos por TRANSFORMERS. É a dupla responsável pelos filmes de Peter Jackson. O que é um excelente currículo. Ambos competem pela terceira vez e ambos possuem dois Oscars por O SENHOR DOS ANÉIS: AS DUAS TORRES (2002) e KING KONG (2005).


SANGUE NEGRO
Christopher Scarabosio & Matthew Wood
Trailer | Crítica | Site Oficial

No contraponto está RATATOUILLE. Um filme que apesar de não se passar em alto-mar, desfruta de cenas em esgoto. Incluindo várias corredeiras, o que para um ratinho e um editor de som é diversão demais… Randy Thom & Michael Silvers estão a frente do projeto e somam juntos 18 indicações e 3 Oscars, incluindo OS INCRÍVEIS em 2004.

O ÚLTIMATO BOURNE foi citado pela sequências de ação com automóveis. Técnicas amplamente usadas em MATRIX e VELOZES E FURIOSOS. A indicação aqui já foi suficiente e o Oscar soa improvável.

Por fim, SANGUE NEGRO e ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ parecem fortes apenas pelo fato de concorrerem como melhor Filme do ano. Pesa contra, também, ser a primeira indicação de ambas as equipes. Em tese, são zebras.

Article Categories:
AWARDS

Comments

  • A Edição de Som de Transformers é(simplesmente) fantástica, mas ainda prefiro à de Ratatouille.

    Héber Ribeiro 18 de fevereiro de 2013 8:18 Responder
  • Hello I just entered before I have to leave to the airport, it’s been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

    barb michelen 7 de fevereiro de 2008 17:45 Responder

Deixe uma resposta