Hereditário

HEREDITARY


O BEBÊ DE ROSEMARY cresceu e nada mais nos resta do que saudar o rei! De um berço claustrofóbico de pinho e bonecas, desenhos e brinquedos, de uma família donde o avô morreu de depressão e inanição, a avó morreu solitária e demente, o tio se enforcou em um quarto qualquer, a mãe está louca a dormir pelos corredores, uma lata de thinner e um fósforo aceso na mão, enquanto o pai faz o jantar para uma refeição silenciosa, mas embriagada de ódio e deboche, enquanto as pombas perdem suas cabeças e o bolo de nozes faz o resto, vemos o gene do mal aos poucos crescer. E minuciosamente feito nas sombras, na chama de uma vela, no bordado de um capacho, nos detalhes em miniatura que se somam, e cada vez mais, e mais, e mais, até sua mente literalmente explodir. É uma maldição? É paranoia? Um pesadelo? Não… é Toni Collette num surto. Então, orai por ela. Orai por nós. E salvem a rainha! Ao rei! Nobres cortesãos de uma família de loucos. Marionetes reféns de um copo e uma lousa.

Um filme que começa lento, em luto, os personagens sonolentos, todos sonâmbulos e meio tristes e nesse sonho-pesadelo permanecem, meio apáticos, mas sob um DNA maquiavélico que os mantém em constante torpe. Não se sabe se é o diabo no corpo, os fantasmas no vento, a esquizofrenia na mente, mas algo está errado porque a trilha sonora de Colin Stetson nos conduz para isso e o roteiro, aos poucos, brinca com nossa mente, “ploc” aqui, “ploc” acolá, e a cada susto, o coração batendo mais forte, o medo descendo sobre a película como um denso nevoeiro, os insetos infestando a história de desgosto, com formigas, com moscas, de certo algo apodrece sobre nós – o público -, enquanto o cineasta, Ari Aster, filma o escuro e, ali, esconde seu terror.

E o cheiro… a náusea tomando conta, a garganta se fechando, a asfixia nos enclausurando e encurralando e enlouquecendo, como mãos invisíveis em torno do pescoço, fios invisíveis em torno dos pulsos, enquanto a casa encolhe, a lareira explode e a possessão nos domina. Não há qualquer escapatória. O círculo está fechado. E, sim, é tudo HEREDITÁRIO.

RATING: 83/100

TRAILER

Article Categories:
FILMES · SUNDANCE

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.