O Dia Depois

THE DAY AFTER


THE DAY AFTER (2017)São 90 minutos que descrevem um dia longo e implacável, que parece que vai durar para sempre, mas que passa num suspiro. E depois, com o sono e os sonhos, tão breves e tão longos, outro dia surge. THE DAY AFTER abre com um homem caminhando pela escuridão antes do amanhecer. Nos lugares que ele passa, e no caminho traçado por seus passos, cinema e memorias se fundem, passado e presente, um dia depois e um antes, duas histórias, um lento caminhar e um rápido flerte.

Então, outro personagem surge e serão três histórias, um triangulo (amoroso?) que flui pelo tempo, os minutos, as horas, o dia, essa projeção, pelo passado, presente e futuro, tal qual um caleidoscópio, as próprias emoções a rodopiar, as sensações a girar, emolduradas pelo tempo, o preto e o branco, revolvendo pela tela multifacetada em suas diversas nuances, em desgostos e desejos. Uma roda viva sutilmente coreografada por Hong Sang-soo, tão complexo e tão simples. Um dia e nada mais. Kim Min-hee e Kwon Hae-hyo em cena, a câmera orbitando ao redor deles, criando mundos paralelos, fragmentando a narrativa num consistente movimento, antes e depois no mesmo frame, no mesmo segundo, um dia qualquer. Não importa. Se sente.

E por esse vórtex, nas facetas de tempo e argumento, nas estruturas de câmera e montagem, o cineasta projeta, aos poucos, comedia e romance no seu dia, sorrindo sobre essa bagunça, por vez divertida, por vez melancólica. Filma no estritamente formal, sem qualquer artifício e artimanha. Apenas seus atores, sua fala e algum lugar. E desses monólogos em dois tons, entre a realidade e a ilusão, o fato e a crença, indo e vindo, cobrindo os rastros e a percepção do tempo, vemos um fio (narrativo), extremamente ínfimo, um fiapo de nada, uma carta, uma suspeita, senão outro (belo) filme que se soma à (bela) filmografia do cineasta, como os dias vão e vêm pela semana. Naturalmente.

(*) Crônica livremente inspirada do material cedido pela Finecut, incluso argumentos da crítica de Jeong Hanseok, impressas no mesmo presskit
RATING: 69/100

TRAILER

Article Categories:
CANNES · MOSTRA SP · REVIEW · SAN SEBASTIAN · TIFF

Deixe uma resposta