Custódia

JUSQUA LA GARDE


Em CUSTODY, Xavier Legrand filma o medo. O medo inspirado por um homem violento capaz de tudo para voltar à esposa que pretende deixa-lo. O medo personificado por Denis Ménochet, uma ameaça permanente para quem o rodeia. O medo que faz com que todos ao seu redor estejam tensos. O medo que lhe traz dor e pelo qual ele manipularia qualquer um, inclusive os filhos. Pelo medo, Léa Drucker está sempre em alerta. Ela sabe que o perigo pode surgir em qualquer lugar, a qualquer momento, e ninguém está seguro. E pelo medo, o cineasta evoca um cinema como o de Hitchcock, Haneke ou Chabrol, um filme que envolve o espectador ao brincar com a inteligência e seus nervos.

E é pelo medo, pelo casamento, tantos filmes na memória, KRAMER VS. KRAMER, O MENSAGEIRO DO DIABO e O ILUMINADO entre eles, que o cineasta transita por vários temas, os direitos parentais, os direitos de custódia, a dor da separação… depois, como uma pessoa pode ser intransigente com as crianças para alcançar seus fins. E, por fim, a loucura, o isolamento, o terror e como a violência doméstica pode levar ao puro horror. Esse é o verdadeiro argumento.

E o faz pela imersão, através de uma abordagem dramática que segue cada pegada desse homem, cada obstáculo que ele tem que superar para alcançar seus fins: o juiz, seu filho e sua ex-esposa. E, como tal, o público experimenta as dúvidas do juiz, a pressão que a criança está sujeita e o terror da esposa caçada em tempo real. A projeção crescendo na leitura política e universal, o espectador se afundando no cinema de gênero (o de um monstro que procura sua presa), nesse suspense e tensão que alimenta a narrativa e vice-versa. Que se alimenta dO SOM AO REDOR, o eco em um apartamento, um carro, um relógio, um alarme, para gerar ansiedade, os atores em constante fragilidade. O terror. O horror. O medo. Sim, ficamos em custódia desse medo. Desse filme.

(*) Crônica livremente inspirada do material cedido pela Celluloid Dreams, incluindo entrevista com o Diretor
RATING: N/T

TRAILER

Article Categories:
MOSTRA SP · PREVIEW · SAN SEBASTIAN · TIFF · VENEZA

Deixe uma resposta