1945

1945


Um trem aporta na estação com uma entrega especial. Os documentos são conferidos. A carga é cuidadosamente colocada na carroça e deverá ser entregue bem e devagar. A vila fica há uma hora de caminhada e todos se preparam para um grande casamento. A noiva preguiçosa se levanta. Os talheres de prata são polidos. O banquete é fartamente cozido. Enquanto a carroça avança bem e devagar pela estrada. Um mensageiro parte apressado da estação. Ao fundo, o rádio notícia assuntos de guerra. Parece que o Japão se rendeu. A trilha, em suspense, marca o tempo como um estranho metrônomo. O prefeito recebe um aviso que judeus chegaram. Há judeus chegando na vila! Avisem todos. Quantos deles? Dois. Somente dois. Trazem perfumes e cosméticos. O galope do cavalo se torna onipresente. A Hungria se rendeu. A carroça está chegando. Com ela, os judeus. São polacos? Improvável. Há um casamento, há preparativos e essa carroça sorrateiramente se aproxima. A mãe do noivo sente um mau pressentimento. Da janela, ela vê a carroça. O Prefeito também a vê. Os soldados, cada habitante dessa pequena cidade avista e carroça. Tenham um bom dia! Estamos em 1945, na Hungria, num escaldante mês de agosto. A guerra acabou.

O que inferno eles querem? Vingança? Esse lugar é nosso! Tudo aqui é nosso! A casa. A mobília. O terreno. Mas será? A carroça afinal chega ao seu destino. E o casamento está desfeito. Pai e filho cavam uma sepultura. No braço, a marca dos campos. Feren Töröc filma o desfecho, o depois, o que sobrou da guerra para aqueles que ficaram, sobreviveram ou se aproveitaram. Seu filme é doloroso. Uma longa marcha. O suspense emula A FITA BRANCA de Haneke. O cavalo, lento e vagaroso, nos lembra dO CAVALO DE TURIM, de Tarr. Os judeus são filmados como a morte nO SÉTIMO SELO, de Bergman. E a história? Essa está enterrada, bem fundo, com os poucos objetos que sobraram. Sim, a guerra acabou, mas a humanidade ficou. Os judeus vieram e se foram para nos lembrar.

RATING: 75/100

TRAILER

Article Categories:
BERLIM · MOSTRA SP · REVIEW

Deixe uma resposta