Te Prometo Anarquía

TE PROMETO ANARQUÍA
BANNER MIX BRASIL 2015


Na tela, ainda embriagados pelo ócio, “nos tornamos aquilo que éramos antes, um pedaço de carne, uma promessa bêbada, os tênis esburacados do colégio, o tecido roto do primeiro sutiã, o primeiro pelo encrustado no sabonete. Somos a pele indo e vindo, subindo e descendo, lembrando e esquecendo e assim crescemos, galopando pelas camas, destruindo auroras, tão sozinhos e incertos quanto o tempo que devora nossos ossos. Somos uma geração de pessoas doentes, cheias de alegria, às vezes com ódio, às vezes mirando os céus, à espera de um raio de sucesso”, por esse Deus, que não virá, jamais virá, por que assim vive o caos e, sim, TE PROMETO ANARQUIA!

Então, eis o inferno e suas marimbas, que nos inunda de vermelho e sexo, de som e urbe, ali no México, pelas praças, pelo metrô, pela vertigem dos enquadramentos, as sensações, as cores, o cimento. Por essa “love story” de skatistas, amigos, amantes. A cidade ao fundo, como cenário, personagem ou livre trânsito, enquanto os protagonistas dão o sangue – e literalmente – por sua juventude, para depois fumá-la em odisseia e poesia. Por esse futuro que não existe, apenas as tardes de skate e bebida, ao Sol, aos beijos, aos amores que consomem e destroem. Essa é a geração deste século, o monstro que Júlio Hernández Cordón filma.

E com ele, embarcamos no caminhão, vampirizados pela noite, por esse cinema dito noir, misto de ficção e realidade, atores e não atores, enquanto o suspense avança com seus skates, por essa projeção, pelas veias de concreto e que pulsa, se inala e se goza nos travesseiros. E ao final, nada resta senão a anarquia de uma vida perdida, à esmo, sem roteiro, patinando para lá e para cá, como esse filme, tão inocente e tão impotente.

RATING: 64/100

TRAILER

Article Categories:
FILMES · LOCARNO · MIX BRASIL · RIO · SAN SEBASTIAN · TIFF

Deixe uma resposta