Os rumores, os humores e os filmes de Cannes 2015

BANNER CANNES 2015 (G)

O 68° Festival de Cannes já tem um rosto (e um sorriso): Um ícone moderno, uma mulher livre, a atriz audaciosa, a musa de Hitchcock, de Rossellini, de Bergman, que filmou ao lado de Cary Grant, Humphrey Bogart e Gregory Peck. E aqui na evidência de sua beleza, nesse rosto sereno, deslumbrante. E ali, no topo das escadarias do Palais des Festivals, Ingrid Bergman vai saudar, abençoar, iluminar as estrelas, senão pelo cinema, ao menos pelas palmas.

Quais serão? Poucos sabem… Nem ao certo Pierre Lescure, o novo presidente do Festival, apenas com um terço da Seleção fechada. Ou assim declarado pelo bem do mistério, do suspense, a famosa competição que se anuncia no dia 16 de Abril. Nem o filme de Abertura está confirmado, o que sucinta os rumores, os humores, afinal a especulação aberta.

Então vamos especular: Com MAD MAX fora do páreo (e da competição) e o novo Wood Allen, esse IRRATIONAL MAN como “plano B”, muito se comenta que o Filme de Abertura seja uma Animação. O PEQUENO PRÍNCIPE é o título mais comentado. DIVERTIDA MENTE, o título mais lógico. E certamente há outras opções: BELLES FAMILLES do mestre francês Jean-Paul Rappeneau e LA GIOVINEZZA do oscarizado Paolo Sorrentino são boas opções, cada titulo recheado de estrelas, o ideal para um evento tão midiático. THE HATEFUL EIGHT, em algum lugar da filmagem e da pós-produção é um sonho – e dai, talvez, o anuncio tardio. E se tudo o mais falhar, há sempre MAD MAX, título já confirmado, e 30 anos depois do filme anterior, mas não na Abertura. E por quê? Isso promete uma grande surpresa…

Para o encerramento, parecem unânime, todas as fontes, toda a imprensa, todo o mercado cita o novo filme de Sean Penn, THE LAST FACE, menos o diretor que, parece, não terminou a montagem. Uma fonte cita REGRESSION, o novo suspense claustrofóbico de Alejandro Amenebar, mas, sinceramente, duvido que o Festival termine nesse gênero. E que tal um clássico? Um filme que, como Cannes 2014, olhe para o passado, para as reminiscências de um cinema que o vento levou? Então, na trilha de TRÊS HOMENS E UM DESTINO, outros ares, outros ventos, o novo, o inédito, o filme perdido de Orson Welles: THE OTHER SIDE OF THE WIND. É uma (boa) opção.

Pela competição, está difícil acomodar a safra de franceses e italianos. Pelos anfitriões, é quase certo que Arnaud Desplechin coloque seu TROIS SOUVENIRS DE MA JEUNESSE em competição, ele próprio em sua sexta tentativa a mais gloriosa das Palmas. E o titulo programado para estrear em circuito francês logo em seguida, na verdade, durante o Festival, em 20 de Maio. Seria irresistível. É irresistível para a Seleção Oficial. Depois, uma mulher, vossa majestade Maïwenn e seu MON ROI, 65% de chances de disputar a Palma pela segunda vez – e depois do impressionante POLISSIA. E um pouco atrás, bem atrás na verdade porque o filme não está pronto, estaria Jacques Audiard, O PROFETA, o cineasta que filma na FERRUGEM E OSSO, e cuja filmografia de tanto nos encantar, de tanto impressionar, DE TANTO BATER MEU CORAÇÃO PAROU. A aposta parece meio errática aqui, mas várias fontes o citam como (quase) pronto e, portanto ERRAN está no páreo. Outros franceses se acomodam no “lado b” da competição, na sessão “reserva”, “Un Certain Regard” para eles: O próprio Jean-Paul Rappeneau (já citado aqui) e aparentemente acertado para abrir essa Sessão, se não estiver em Competição, mas também Catherine Corsini (LA BELLE SAISON), Emmanuelle Bercot (LA TÊTE HAUTE), Xavier Giannoli (MARGUERITE), Valérie Donzelli (MARGUERITE ET JULIEN) e Guillaume Nicloux (THE VALLEY OF LOVE).

Pelos italianos, o pedigree é ainda maior e a competição se torna mais insana com a sombra do Festival de Veneza: Certo, parece, está MIA MADRE, o novo filme de Nanni Moretti, com estreia agora em Abril no circuito italiano. Depois, com quase 90% de chances de figurar em competição está “O CONTO DOS CONTOS” de Matteo Garrone, ele próprio em prova depois de GOMORRA e REALITY. E por fim, se houver espaço na disputa, mas provavelmente em caráter “Hors Concours” ou mesmo em competição em Veneza, estaria a nova comédia de Luca Guadagnino (A BIGGER SPLASH) e o suspense de Marco Bellocchio (L’ULTIMO VAMPIRO, Sessão Midnight ou Venezia´72?). LA CORRISPONDENZA, de Giuseppe Tornatore, isso é certo, está guardado para Veneza.

Pela importância que tem, Cannes sempre representa um risco para os americanos. E sempre foi assim: Um evento que pode impulsionar ou sepultar um filme, coroar ou amaldiçoar um lançamento. Ao vencedor, o Oscar. Aos perdedores, talvez um lançamento no Netflix. Aqui se pisa em ovos, a negociação é (in)tensa… O que vai para Cannes? E em competição? Primeiro, um autor de prestigio, figurinha certa desde tempos imemoriais nesse evento: Gus Van Sant e a melancolia entre Matthew McConaughey e Ken Watanabe. Os dois perdidos (INQUIETOS?) na floresta dos suicidas, nesse SEA OF TREES. E depois, outro contender de peso para a “Temporada Ouro” de Hollywood: Todd Haynes, bem LONGE DO PARAÍSO, mas novamente nos Anos 50, e agora com Cate Blanchett e Rooney Mara, duas mulheres perdidas no sonho americano, favoritas em qualquer competição. Por fim, outrora bem cotado, agora um pouco menos, a terceira vaga parece ser de Jeff Nichols e seu MIDNIGHT SPECIAL.

Outros diretores se aventuram, ousam, experimentam… Aparentemente obvio em qualquer competição, o novo MACBETH de Justin Kurzel, com Michael Fassbender e Marion Cotillard, aparece apenas com 40% de chances de figurar na Seleção Oficial. Pouco comentado, não deve ser uma supressa se figurar em Cannes, mas parece mais certo para os Festivais de Outono, falo de Toronto ou Veneza. Não é o caso de THE LOBSTER (Yorgos Lanthimos) e LOUDER THAN BOMBS (Joachim Trier), títulos há muito tempo em gestação e citados em quase todas as listas e prognósticos. Surpresa será realmente se ficarem de fora.

Do cinema asiático, a grande dúvida é se THE ASSASSIN, de Hou Hsiao Hsien, está finalmente pronto. Aparentemente está. E desde o final do ano passado… O que o coloca certamente em competição em Cannes e na Mostra SP, como peça central de uma das Retrospectivas da edição 2015. No entanto, pouco se comenta desse título, bem menos que o pedigree demanda. Estaria pronto? Em competição? Mais certo é confirmar (ou apostar?) em Hirokazu Kore-eda (OUR LITTLE SISTER), Naomi Kawase (SWEET RED BEAN PASTE) e claro, em Apichatpong Weerasethakul (LOVE IN KHON KAEN).

Faltam ainda algumas vagas e 1001 NOITES, um filme de Miguel Gomes, sim, dAQUELE QUERIDO MÊS DE AGOSTO, mas aqui um TABU, porque o filme tem mais de 7 horas de projeção e seria o recorde para a Seleção Oficial. O COSMOS de Andrzej Zulawski orbita entre as Seleções, a Competição, Un Certain Regard ou a Quinzena dos Realizadores? A aposta mais provável é a disputa pela Palma, mas ainda é (muito) incerto. De resto, Corneliu Porumboiu e seu THE TREASURE é citado por 70% das fontes como diretor em Competição. Pablo Trapero (EL CLAN) tem 50% de chance de representar a Argentina (e a América Latina) em disputa e Gaspar Noé (LOVE) tem pouco mais de 25% de chances de figurar na Sessão Principal.

E da extensa lista de especulação, ainda falta espaço para SUNSET SONG (Terence Davies), BEASTS OF NO NATION (Cary Fukunaga), SICARIO (Denis Villeneuve), L’OMBRE DES FEMMES (Philippe Garrel), THE COMMUNE (Thomas Vinterberg) e, principalmente, FRANCOFONIA (Aleksandr Sokurov). Sim, o banquete é gordo…


68º Festival de Cannes | Apostas

Filme de Abertura
*** Apostas ***
O PEQUENO PRINCIPE | Mark Osborne
DIVERTIDA MENTE | Pete Docter
IRRATIONAL MAN | Woody Allen
BELLES FAMILLES | Jean-Paul Rappeneau
LA GIOVINEZZA | Paolo Sorrentino
MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA | George Miller

Competição | Cannes 2015
*** Apostas ***
AS 1001 NOITES | Miguel Gomes
CAROL | Todd Haynes
COSMOS | Andrzej Zulawski
EL CLAN | Pablo Trapero
ERRAN | Jacques Audiard
IL RACCONTO DEI RACCONTI | Matteo Garrone
LA GIOVINEZZA | Paolo Sorrentino
LOUDER THAN BOMBS | Joachim Trier
LOVE | Gaspar Noé
LOVE IN KHON KAEN | Apichatpong Weerasethakul
MACBETH | Justin Kurzel
MIA MADRE | Nanni Moretti
MIDNIGHT SPECIAL | Jeff Nichols
MON ROI | Maïwenn
OUR LITTLE SISTER | Hirokazu Koreeda
SWEET RED BEAN PASTE | Naomi Kawase
THE LOBSTER | Yorgos Lanthimos
THE SEA OF TREES | Gus Van Sant
THE TREASURE | Corneliu Porumboiu
TROIS SOUVENIRS DE MA JEUNESSE | Arnaud Desplechin

Filme de Encerramento
*** Apostas ***
THE OTHER SIDE OF THE WIND | Orson Welles
THE LAST FACE | Sean Penn
REGRESSION | Alejandro Amenebar



Sessão “Un Certain Regard”
*** Apostas ***
A WAR | Tobias Lindholm
BELLES FAMILLES | Jean-Paul Rappeneau
BOX | Florin Serban
CE SENTIMENT DE L’ÉTÉ | Mikhaël Hers
CHEVALIER | Athina Rachel Tsangari
EVOLUTION | Lucile Hadzihalilovic
HIGH-RISE | Ben Wheatley
IN THE ROOM | Eric Khoo
L’ANGE BLESSÉ | Emir Baigazin
LA BELLE SAISON | Catherine Corsini
LA PATOTA | Santiago Mitre
LA TÊTE HAUTE | Emmanuelle Bercot
LES CHEVALIERS BLANCS | Joachim Lafosse
MARGUERITE | Xavier Giannoli
MARGUERITE ET JULIEN | Valérie Donzelli
ME AND EARL AND THE DYING GIRL | Alfonso Gomez-Rejon
MY FRIENDLY VILLAINS | Im Sang-soo
TAKLUB | Brillante Mendoza
THE BOY AND THE BEAST | Mamoru Hosoda
THE VALLEY OF LOVE | Guillaume Nicloux



Fora de Competição
*** Apostas ***
A BIGGER SPLASH | Luca Guadagnino
AMY | Asif Kapadia
BY THE SEA | Angelina Jolie
DIVERTIDA MENTE | Pete Docter
ICON | Stephen Frears
IRRATIONAL MAN | Woody Allen
MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA | George Miller

Sessões Especiais
*** Apostas ***
DESIGN FOR LIVING | Johnnie To
FRANCOFONIA | Aleksandr Sokurov
THE CROSSING | John Woo

Sessões Midnights
*** Apostas ***
GENERATION Z | Steve Barker
L’ULTIMO VAMPIRO | Marco Bellocchio
REGRESSION | Alejandro Amenebar



Quinzena dos Realizadores
*** Apostas ***
ADAMA | Mathieu Vadepied
BIG SKY | Jorge Michel Grau
BOMBAY VELVET | Anurag Kashyap
CHRONIC | Michel Franco
CLOSE PROTECTION | Alice Winocour
GOKSEONG | Na Hong-jin
JE SUIS MORT MAIS J’AI DES AMIS | S. & G. Malandrin
LE CIEL DU CENTAURE | Hugo Santiago
LOLO | Julie Delpy
MA RÉVOLUTION | Ramzi Ben Sliman
MEDITERRANEA | Jonas Carpignano
MICROBE ET GASOIL | Michel Gondry
PAR ACCIDENT | Camille Fontaine
REST HOME | Michael Rowe
SCHNEIDER VS. BAX | Alex van Warmerdam
TAJ MAHAL | Nicolas Saada
THE BRAND NEW TESTAMENT | Jaco van Dormael
THE WITCH | Robert Eggers
TRESPASS AGAINST US | Adam Smith
YZKOR | Raphaël Nadjari



Semana da Crítica
*** Apostas ***
BANG GANG | Eva Husson
DESIERTO | Jonas Cuaron
GAZ DE FRANCE | Benoît Forgeard
JE SUIS À VOUS TOUT DE SUITE | Baya Kasmi
LA FILLE DU PATRON | Olivier Loustau
LES OGRES | Léa Fehner
MONTANHA | João Salaviza
SORGENFRI | Bo Mikkelsen



Outras Apostas para Cannes 2015
*** Apostas em Ordem de Probabilidade***
SUNSET SONG | Terence Davies
BEASTS OF NO NATION | Cary Fukunaga
SICARIO | Denis Villeneuve
L’OMBRE DES FEMMES | Philippe Garrel
THE COMMUNE | Thomas Vinterberg
TOMORROWLAND | Brad Bird
MALGRÉ LA NUIT | Philippe Grandrieux
PEUR DE RIEN | Danielle Arbid
THE ENDLESS RIVER | Oliver Hermanus
11 MINUTES | Jerzy Skolimowski
A UMA HORA INCERTA | Carlos Saboga
UN MONDE TRUQUÉ | Franck Ekinci & Christian Desmares
UNE HISTOIRE DE FOU | Robert Guédiguian
THE ASSASSIN | Hou Hsiao Hsien
AMNESIA | Barbet Schroeder
LAMB | Yared Zeleke
LES DEUX AMIS | Louis Garrel
LOS 33 | Patricia Riggen
LES ANARCHISTES | Elie Wajeman
ONE FLOOR BELOW | Radu Muntean
MADAME COURAGE | Merzak Allouache
TÊTE BAISSÉE | Kamen Kalev
L’ETAGE DU DESSOUS | Radu Muntean
LILY LANE | Benedek Fliegauf
EL ABRAZO DE LA SERPIENTE | Ciro Guerra
A SIMPLE MAN | Stephane Brize
A TALE OF LOVE AND DARKNESS | Natalie Portman
IN EQUILIBRIUM | Denis Dercourt
JAMES WHITE | Josh Mond
JOURNEY TO THE SHORE | Kiyoshi Kurosawa
L´HERMINE | Christian Vincent
THE BURGLAR | Hagar Ben-Asher
THE GIRL KING | Maki Kaurismaki
TOMORROW | Martha Pinson
UN MOMENT D’ÉGAREMENT | Jean-François Richet
BADEN BADEN | Rachel Lang
NINA | Cynthia Mort
FATIMA | Philippe Faucon
BELGICA | Felix van Groeningen
A THOUSAND-HEADED MONSTER | Rodrigo Pla
MUSTANG | Deniz Gamze Ergüven
BEYOND SLEEP | Boudewijn Koole
MAMMAL | Rebecca Daly
ON THE MILKY ROAD | Emir Kusturica
LOVE & PEACE | Sion Sono
2 NIGHTS TILL MORNING | Mikko Kuparinen
COWBOYS | Thomas Bidegain
UN HOMME | Stéphane Brize
L’ENQUÊTE | Nicolas Boukhrief
EL REY DEL ONCE | Daniel Burman

—————————————-

Festival de Veneza 2015 | Apostas

33 DÍAS | Carlos Saura
A WAR OF THEIR OWN | Bille August
ANOMALISA | Charlie Kaufman
D | Roman Polanski
ELLE | Paul Verhoeven
EQUALS | Drake Doremus
GRAIN | Semih Kaplanoglu
JANE GOT A GUN | Gavin O’Connor
LA CORRISPONDENZA | Giuseppe Tornatore
LA FEMME DE LA PLAQUE ARGENTIQUE | Kiyoshi Kurosawa
LA REINA DE ESPAÑA | Fernando Trueba
LE DERNIER JOUR DE RABIN | Amos Gitai
LIVING WITH MY MOTHER | Yoji Yamada
LOOKING FOR ROHMER | Wang Chao
MARIA GRAHAM: DIARY OF A RESIDENCE IN CHILE | Valeria Sarmiento
MEN & CHICKEN | Anders Thomas Jensen
MERAVIGLIOSO BOCCACCIO | Paolo & Vittorio Taviani
MY LIFE AS ZUCCHINI | Claude Barras
REMEMBER | Atom Egoyan
RYUZO 7 | Takeshi Kitano
SIERRA NEVADA | Cristi Puiu
SPARROWS | Rúnar Rúnarsson
SUFFRAGETTE | Sarah Gavron
SUITE FRANÇAISE | Saul Dibb
THE CHILDHOOD OF A LEADER | Brady Corbet
THE GIRL KING | Mika Kaurismäki
THE HATEFUL EIGHT | Quentin Tarantino
THE LIGHT BETWEEN OCEANS | Derek Cianfrance
THE THOUSAND MILES | Sylvain Chomet
THE TRAP | Harmony Korine
TRIPLE NINE | John Hillcoat
WIENER-DOG | Todd Solondz
YAKUZA APOCALYPSE: THE GREAT WAR OF THE UNDERWORLD | Takashi Miike

—————————————-

Festival do Rio 2015 | Apostas

O FILME DA MINHA VIDA | Selton Mello
O GRANDE CIRCO MÍSTICO | Carlos Diegues
PELÉ | Jeff & Michael Zimbalist
QUE HORAS ELA VOLTA? | Anna Muylaert
ZOOM | Pedro Morelli

—————————————-

69º Festival de Cannes | Apostas

Competição | Cannes 2016

AMERICAN HONEY | Andrea Arnold
DOWNSIZING | Alexander Payne
ERRAN | Jacques Audiard
FLASHMOB | Michael Haneke
HORIZONTAL PROCESS | Abbas Kiarostami
LA BLESSURE | Abdellatif Kechiche
MOUNTAINS MAY DEPART | Jia Zhangke
SECOND BORN | Park Chan-wook
THE DEATH AND LIFE OF JOHN F. DONOVAN | Xavier Dolan
THE FERRYMAN | Wong Kar Wai
THE LITTLE MERMAID | Sofia Coppola
THE LOST CITY OF Z | James Gray
THE NEON DEMON | Nicolas Winding Refn
ZAMA | Lucrécia Martel


Article Tags:
Article Categories:
FESTIVAIS

Comments

  • Acho que esse novo filme do Woody Allen para a abertura do Festival não vai se confirmar. Aposto no novo do Paolo Sorrentino, até porque, provavelmente, esse filme tem chances de concorrer ao próximo Oscar, então Cannes vai querer sair na frente nesse ponto.

    Cinéfila por Natureza 5 de abril de 2015 22:54 Responder

Deixe uma resposta