O Panorama do Oscar 2010


GUERRA AO TERROR chega ao Oscar 2010, hoje, como um candidato a ser batido. Como qualquer favorito, pisa no tapete vermelho envolto em polêmica: Corre por fora um processo caça-níqueis de um militar, cuja experiência no Iraque, Mark Boal se inspirou para roteirizar; Há também o email de Nicolas Chartier, cuja ingenuidade quase pôs tudo a perder na reta final e, por fim, existe AVATAR, o tal “filme de 500 milhões de dólares”, que o próprio produtor-bomba gostou de enfatizar para todos os Acadêmicos.


São temperos que apimentam uma disputa que já foi decidida em favor de Kathryn Bigelow. Se GUERRA AO TERROR perder – Não vai perder – será devido à matemática bastarda da Academia, que em favor da justiça, pode consagrar um azarão, o filme de Tarantino, o favorito sentimental de muita gente e a segunda opção de muitos.


Tarantino é a incógnita da disputa. BASTARDOS INGLÓRIOS arruína a simetria perfeita de AVATAR e GUERRA AO TERROR, cujas visões opostas falam de temas complementares: A guerra, a maldita guerra! É então que Tarantino cria uma realidade paralela para satirizar tudo, com sua maestria de sempre, sua nostalgia de sempre e cria um roteiro genuíno – original – e espetacular.


Roteiro Original. Categoria que AVATAR, com seus diálogos Camerianos, sequer disputa… Tarantino, um roteirista não sindicalizado, ficou de fora no WGA, o Prêmio do Sindicato e agora corre por fora, já que Mark Boal e sua GUERRA AO TERROR, sem quaisquer oponentes, ganhou (quase) tudo. Tarantino e Boal protagonizam a categoria mais acirrada do ano – a mais indefinida. Tarantino tem o Melhor Roteiro, mas Boal tem o melhor momento, o que pesa mais?


Não é o caso dos Roteiros Adaptados… Jaison Reitman reina absoluto em uma categoria de muitos figurantes. AMOR SEM ESCALAS ganhou tudo no ano. Marca a consagração de um diretor e roteirista talentoso, de uma filmografia exemplar que inclui OBRIGADO POR FUMAR e JUNO. É justo. E é talvez o único Oscar que AMOR SEM ESCALAS venha a ganhar. Filme que já foi favorito como Melhor Filme, mas perdeu o fôlego na campanha e hoje é apenas coadjuvante na festa.


Extremamente coadjuvante, aliás… AMOR SEM ESCALAS emplacou duas atrizes ao Oscar de Coadjuvante (Vera Farmiga e Anna Kendrick). Há grande simpatia, mas talvez um exagero. Juliane Moore e Samanta Morton tiveram mais presença em DIREITO DE AMAR e O MENSAGEIRO. Ficaram de fora, esnobadas… Da repescagem veio Maggie Gyllenhaal, ela própria esnobada muitas vezes. E, então, Penélope Cruz, num papel-espelho de VICK CRISTINA BARCELONA entrou também. Todas ensaiando o sorriso amarelo para o Oscar de Mo´nique, a comediante americana que roubou o filme de sua “preciosa”. A atriz ganhou tudo, num desempenho que percorreu um ano inteirinho, desde Sundance 2009, para a grande coroação no Oscar 2010.


Caso parecido entre os homens: Christoph Waltz, agraciado Melhor Ator em Cannes 2009, percorreu o ano inteiro como favorito entre os Coadjuvantes. Ganhou tudo por uma interpretação perfeita para um personagem perfeito, inesquecível. Seria justo ganhar o Oscar. Seria justo perdê-lo também. Christopher Plummer, 81 anos, 57 de carreira, primeira indicação ao Oscar. Parece irresistível…


Como é irresistível premiar a “miss simpatia” como Melhor Atriz. Sandra Bullock, comediante de sucesso, atriz popular, chega ao tapete vermelho com vários Prêmios precursores – O SAG, o Globo de Ouro – Outras atrizes estão no páreo, muito melhores e mais talentosas, Carey Mulligan, por exemplo, mas esse é o momento de Bullock. É justo? Não é, mas foi a mesma coisa com a Erin Brockovich de Julia Roberts…


Vai entender o coração louco da Academia… Dois pesos, duas medidas. Sim, o talento importa, mas também se leva em conta a historia, o momento de cada indicação. Jeff Bridges leva hoje o Oscar de Melhor Ator, com um gosto – uma sensação – de Prêmio Honorário pela carreira. Seu Bad Blake é um personagem rico, mas o homem solteiro de Colin Firth é um papel infinitamente mais difícil. Firth merecia ganhar aqui. Não vai ganhar… Não tem historia, nem momento para isso.


Dizem que o Oscar 2010 será azul por conta de AVATAR. Disseram em 1986 que teria COR PÚRPURA. No final, o filme de Spielberg foi indicado a 11 estatuetas e perdeu todas. AVATAR concorre em nove categorias e deve perder a maioria. Barbada mesmo é o obrigatório Oscar de Efeitos Visuais. Por falta de opção, deve levar Direção de Arte também, afinal a brilhante floresta de Pandora, as Montanhas Aleluia e todo o ecossistema 3D dos Na´vis são um achado, mas não vai além disso.


O Oscar 2010 não tem cor. É o preto e branco do impiedoso filme de Michael Haneke que, a exemplo de AVATAR, revolucionou o cinema, embora com menos dinheiro. A fotografia de Christian Berger não tem precedente. Pouca luz, poucos apetrechos. É barata, simples, funciona e o resultado é impressionante. A FITA BRANCA merece o Oscar de Fotografia e tudo conspira para isso. Ganhou o Prêmio do Sindicato e o da crítica de Los Angeles e Nova York. O Oscar é mais difícil, mas plenamente possível.


O Oscar de Melhor Filme Estrangeiro é uma categoria tão complexada e imprevisível que vêem zebra até onde não existe. O alemão A FITA BRANCA é favorito. O francês O PROFETA ameaça, mas é o filme argentino de Juan José Campanella que vai ganhar, segundo os especialistas. A regra é (parece) simples: A FITA BRANCA já fez carreira internacional com a Palma de Ouro de Cannes. O PROFETA, também selecionado em Cannes, ganhou vários César, o Oscar francês, mas O SEGREDO DOS SEUS OLHOS, um filme comercial, começa sua carreira agora. Um Oscar, portanto, ajudaria a impulsionar as bilheterias. Sim, o Oscar também é indústria.


Entre as animações, apesar dO FANTÁSTICO SR. RAPOSO, é UP – ALTAS AVENTURAS o grande (e merecido) – favorito. É o segundo filme do gênero a concorrer ao Oscar de Melhor Filme, embora A BELA E A FERA triunfasse entre (apenas) cinco indicados. UP foi selecionado entre 10, mas têm seus méritos e será reconhecido por isso. A começar pela Trilha Musical de Michael Giacchino que também ganhou tudo no ano e é um virtual premiado.


Assim como THE COVE, melhor documentário do ano, que está consagrado desde o Festival de Sundance 2009. O resto é GUERRA AO TERROR: Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição e… Melhor Diretor, isto é Diretora. Kathryn Bigelow pode ser a primeira mulher a ganhar na categoria em 80 anos de história.


Previsões – Oscar 2010

Melhor Filme
GUERRA AO TERROR | Summit Entertainment

Melhor Diretor
Kathryn Bigelow | GUERRA AO TERROR

Melhor Ator
Jeff Bridges | CORAÇÃO LOUCO

Melhor Atriz
Sandra Bullock | UM SONHO POSSÍVEL

Melhor Ator Coadjuvante
Christoph Waltz | BASTARDOS INGLÓRIOS

Melhor Atriz Coadjuvante
Mo’Nique | PRECIOSA

Melhor Roteiro Original
BASTARDOS INGLÓRIOS | Quentin Tarantino

Melhor Roteiro Adaptado
AMOR SEM ESCALAS | Jason Reitman

Melhor Direção de Arte
AVATAR | Rick Carter & Robert Stromberg

Melhor Fotografia
A FITA BRANCA | Christian Berger

Melhor Figurino
THE YOUNG VICTORIA | Sandy Powell

Melhor Edição
GUERRA AO TERROR | Chris Innis & Bob Murawski

Melhor Maquiagem
IL DIVO

Melhor Trilha Musical
UP – ALTAS AVENTURAS | Michael Giacchino

Melhor Mixagem de Som
GUERRA AO TERROR

Melhor Edição de Som
AVATAR

Melhor Efeitos Visuais
AVATAR

Melhor Canção
“The Weary Kind” | CORAÇÃO LOUCO

Melhor Filme de Animação
UP – ALTAS AVENTURAS | Pixar Animations

Melhor Filme Estrangeiro
A FITA BRANCA | Alemanha

Melhor Documentário em Longa-Metragem
THE COVE | Louie Psihoyos

Melhor Animação em Curta-Metragem
LOGORAMA | Nicolas Schmerkin

Melhor Documentário em Curta-Metragem
CHINA’S UNNATURAL DISASTER: THE TEARS OF SICHUAN PROVINCE | Downtown Community Television Center, Inc.

Melhor Curta-Metragem
THE DOOR | Juanita Wilson

—————————————–

Leia Mais sobre o OSCAR 2010…

Article Tags:
Article Categories:
AWARDS

Deixe uma resposta