AFI TOP10 – Gangstêr


“Você pode ir longe com um sorriso, mas você pode ir além com uma metralhadora”
Al Capone

O instituto AFI define “Filme de Gangstêr”, o gênero de filmes que foca o crime organizado do séc. XX. 50 filmes de gangstêr foram analisados por um comitê de jornalistas (entre eles, Mauricio Silva Fº, do Spoiler Movies), por sua significância histórica, impacto cultural e reconhecimento de público e crítica. Eis o resultado:

1

O PODEROSO CHEFÃO

Francis Ford Coppola
1972

O PODEROSO CHEFÃO é contado inteiramente dentro de um mundo fechado. Essa é a razão pela qual simpatizamos com os personagens que são essencialmente maquiavélicos. A história de Mario Puzo e Coppola é um número de mágica brilhante que nos convida a refletir sobre a Máfia a partir dos seus próprios principios.

2

OS BONS COMPANHEIROS

Martin Scorsese
1990

“Até onde consigo me lembrar, eu sempre quis ser um gangstêr. Para mim, ser gangstêr era melhor do que ser presidente dos Estados Unidos”. Em OS BONS COMPANHEIROS, Scorsese consegue, sobretudo, fazer o espectador compartilhar de seu entusiasmo pelo assunto – O refinamento do crime organizado em Nova York. A camêra de Scorsese acaricia aqueles rapazes, presta atenção ao brilho de seus sapatos e ao talhe de suas roupas. Um cinema-fetiche perfeito.

3

O PODEROSO CHEFÃO – PARTE II

Francis Ford Coppola
1974

Este brilhante capítulo do original O PODEROSO CHEFÃO continua com a saga de duas gerações de poder sucessivo da família Corleone. Aqui, Francis Ford Coppola conta duas histórias: As raízes e a ascensão de um jovem Don Vito, interpretado com extraordinária habilidade por Robert De Niro, e a ascensão de Michael (Al Pacino) como o novo Don. Reunindo muitos dos talentos que fizeram O PODEROSO CHEFÃO original, Coppola produziu um filme de surpreendente magnitude e visão, e inegavelmente a melhor seqüência já feita.

4

FÚRIA SANGUINÁRIA

Raoul Walsh
1949

5

BONNIE & CLYDE

Arthur Penn
1967

Eles eram jovens… eles se amavam… e assassinavam cidadãos. De BONNIE & CLYDE descendem TERRA DE NINGUÉM, CINZAS DO PARAÍSO, THELMA & LOUISE, DRUGSTORE COWBOY, ASSASSINOS POR ANTUREZA, além de inúmeros filmes nos quais pessoas comuns se transformam em lendas devido a repentinos surtos de violência.

6

SCARFACE: A VERGONHA DE UMA NAÇÃO

John Huston
1932

7

PULP FICTION

Quentin Tarantino
1994

É o diálogo que conduz PULP FICTION. Diálogo de tão alta qualidade que é digno de ser comparado com outros mestres da prosa enxuta e rude. Tarantino sempre tem uma forma de dizer palavras com humor sem jamais solicitar um sorriso e sempre combina prosa funcional com vôos de dura poesia e extravagante maldade.

8

O INIMIGO PÚBLICO

William A. Wellman
1931

9

ALMA NO LODO

Mervyn Leroy
1931

10

SCARFACE

Brian de Palma
1983

A ascensão e a queda de SCARFACE dependem do desempenho de Al Pacino: Agressivo, exagerado, rangendo os dentes, acenando com os braços, cheirando cocaína, mascando em cena – e brilhante, dizem alguns, ao passo que outros consideram-no de uma afetação imperdoável, mas se Pacino exagera, e de fato o faz, é porque seu personagem assim exige: A vida de Tony Montana é um exagero permanente.

Article Tags:
Article Categories:
RANKINGS

Comments

  • Não assisti a muitos filmes da lista, mas era óbvio que “O Poderoso Chefão” iria liderar esse top 10.

    Kamila 26 de junho de 2008 21:26 Responder
  • Essa lista ficou super coerente, especialmente as três primeiras posições. Meu preferido também é “O Poderoso Chefão”, seguido de perto por “Pulp Fiction” (esse sim deveria estar numa posição melhor) e “Os Bons Companheiros”. Também gosto muito de “Bonnie & Clyde”, um clássico muitas vezes esquecido por esse tipo de votação.

    Vinícius P. 26 de junho de 2008 15:54 Responder

Deixe uma resposta