AFI TOP10 – Animação


Animação não é ilusão da vida… É a própria vida…
Chuck Jones

O instituto AFI define “Animação”, o gênero no qual a imagem dos filmes é criada originalmente em computador ou pelas próprias mãos de um desenhista diretamente em película. 50 animações foram analisadas por um comitê de jornalistas (entre eles, Mauricio Silva Fº, do Spoiler Movies), por sua significância histórica, impacto cultural e reconhecimento de público e crítica. Eis o resultado:

1

BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES

Walt Disney
1937

O que se vê em BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES é uma tela sempre brilhando e palpitando de movimento e invenção onde se insere a estória principal, apavorante como em todos os contos de fada, envolvendo a Rainha Má, o sinistro espelho Mágico, a maça envenenada, o sepultamento em uma urna de vidro, a tempestade de raios, a saliência rochosa e a queda fatal da rainha. As crianças lidam bem com esse material porque são tímidas como os pássaros e os animais, que fogem e depois voltam para lançar mais um olhar curioso…

2

PINÓCCHIO

Walt Disney
1940

PINOCCHIO é uma parábola para crianças, e muitas gerações cresceram com a lembrança das palavras “deixe a sua consciência guiá-lo” e “Uma mentira cresce e continua crescendo até que fica tão evidente como o nariz em seu rosto”. O poder do filme se origina, na minha opinião, do fato dele realmente tratar de alguma coisa palpável. Não se trata somente de uma fabula forjada ou de um inconseqüente conto de fadas, mas de uma narrativa com reverberações em profundos arquétipos. E isso não é mentira.

3

BAMBI

Walt Disney
1942

BAMBI pode parecer um filme com enredo fraco, que não chega a lugar nenhum. Mas o filme vai muito além de uma simples estória, ele conta a maior de todas, a história da vida! Como nascemos, como crescemos, como nos acostumamos com certas situações, como nos sentimos frágeis, como lidamos com as perdas… Enfim, é um grande resumo da vida.

4

O REI LEÃO

Walt Disney
1994

O “Bambi na África” ganhou vida própria, com seus personagens e canções entrando para o consciente popular. “Hakuna Matata” foi introduzido ao vocabulário de vernáculos, e seus intérpretes se tornaram extremamente populares. O filme não é relacionado ao clássico de Walt Disney sem fundamento: Ele realmente apresenta muito dos mesmos temas de BAMBI, como o ciclo de vida, morte e renovação. E assim como no filme de 42, em O REI LEÃO temos elementos mais sombrios que na maioria das animações Disney. Enquanto as gerações passadas choravam com a morte da mãe do pequeno cervo, a atual ficará para sempre marcada pela cena da morte do rei Mufasa.

5

FANTASIA

Walt Disney
1942

FANTASIA foi a meditação gótica de Walt, banhada em pesada música clássica e impregnada de sombrias visões de medo, solidão, contrição e tristeza. Foi um fracasso na época se tornando a pira fúnebre dos sonhos da Disney, cujas ruínas em cinzas, adormecida pelo tempo, surgiu uma grande obra-prima.

6

TOY STORY

Pixar
1995

Com TOY STORY, inaugurou-se uma nova fase da animação. Quase todos os filmes da Disney, a partir de A BELA E A FERA, incorporaram ao desenho tradicional as mais sofisticadas técnicas da computação gráfica. A Bela e a Fera dançavam no computador, todo mundo sabe, e, depois, vieram filmes ainda mais impressionantes. Mas com TOY STORY, a Pixar radicalizou e criou o primeiro desenho inteiramente feito com computador. Pode parecer pouca coisa, apenas mais um degrau na escada da (r)evolução técnica, mas foi mais. E isso todo mundo sabe também

7

A BELA E A FERA

Walt Disney
1991

A BELA E A FERA não é um mero filme infantil. Tão pouco um musical delicioso. É um filme que lida como todos os contos de fadas, com tudo aquilo que receamos e desejamos. Eu suspeito que crianças espertas e curiosas gostaram muito desse filme, mas os adultos, Ah… os adultos ficaram mais surpresos com os subterfúgios dessa fita que pode ser pensada como um conto de conquista do amor e da humanidade. Afinal, não se nasce homem, torna-se um.

8

SHREK

DreamWorks
2001

O bicho-papão virou herói: SHREK, o anticonto de fadas que narra a saga de um rabugento ogro, cuja vida é invadida por personagens de fábula, foi o segundo desenho animado da história (o primeiro foi PETER PAN, em 1953) a concorrer à prestigiosa Palma de Ouro do Festival de Cannes. De quebra, foi o primeiro a arrematar um Oscar de Longa de Animação. Mas o que encanta em SHREK é a história e a brincadeira com os contos de fadas. E ainda tem moral… Segundo o próprio personagem principal: as coisas são mais do que aparentam!

9

CINDERELLA

Walt Disney
1950

Apesar de não ter a ambição de FANTASIA ou PINÓQUIO, CINDERELA é um dos filmes mais satisfatórios emocionalmente produzidos por Walt Disney, e isso é o que o faz permanecer uma das mais memoráveis obras do estúdio. Ainda que não esteja exatamente no mesmo patamar dos filmes já citados, CINDERELA não perdeu nem um pouco de seu charme mais de cinqüenta anos após seu lançamento.

10

PROCURANDO NEMO

Pixar
2003

A premissa da relação pai e filho é boa, o trabalho de animação por computador é impecável, mas o grande tesouro de PROCURANDO NEMO vem sendo lapidado desde os primeiros curtas da equipe da Pixar, no final dos anos 80: o domínio do ritmo e da piada. Seus personagens, apesar de mero peixinhos são trágicos e engraçados, solidários e egoístas, são invariável e irremediavelmente humanos. Ao menos na voz.

Article Tags:
Article Categories:
RANKINGS

Comments

  • Esperava uma posição melhor para “Toy Story”, que seria considerado um clássico moderno do gênero. Sem falar que junto com “Procurando Nemo”, não eram as únicas animações da Pixar que mereciam estar na lista…

    Vinícius P. 24 de junho de 2008 17:31 Responder
  • Adorei a lista. Só acho que “A Bela e a Fera” deveria estar num lugar mais alto.

    Kamila 23 de junho de 2008 21:49 Responder

Deixe uma resposta