Noite de gala para o Oscar nacional

Mais de cem filmes, entre longas de ficção e documentários, foram listados pela Academia Brasileira de Cinema para chegar aos indicados que hoje disputam o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, no Rio. A festa que deixou de ocorrer no ano passado, por falta de patrocinador, tem agora o aval da Vivo e o troféu passa a se chamar Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro. Foram habilitados para a competição os filmes lançados entre 1º de julho de 2006 e 31 de dezembro de 2007, o que permite que duas vencedoras do troféu da Associação Paulista dos Críticos de Artes, a APCA, em anos diferentes – Hermilla Guedes, por O CÉU DE SUELY, em 2006; e Carla Ribas, por A CASA DE ALICE, em 2007 -, concorram agora a melhor atriz, pelos mesmos filmes.

Em todo o mundo, existe uma tendência da mídia a simplificar as coisas para o público médio. O Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro seria, ou é, o Oscar do Brasil, como o Ariel é o Oscar do México, o César, o da França, e o Goya, o da Espanha. Como a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, a Academia Brasileira de Cinema divide as categorias de ficção e documentário. Existem cinco filmes indicados na categoria de melhor ficção e cinco na de melhor documentário, mas o prêmio de direção é apenas um, englobando as duas categorias.

O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS e TROPA DE ELITE lideram as indicações entre as obras de ficção, ambos concorrendo em 13 categorias, incluindo Melhor Filme e Diretor, respectivamente Cao Hamburger e José Padilha. TROPA DE ELITE concorre também para Melhor Ator (Wagner Moura) e Melhor Coadjuvante (Milhem Cortaz). O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS tem duas indicações para Melhor Coadjuvante – Caio Blat e Germano Haiut. Hermilla Guedes tem duas indicações – para melhor atriz (O CÉU DE SUELY) e melhor coadjuvante (BAIXIO DAS BESTAS). Será o escândalo anunciado do grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro se ela não sair do Teatro Vivo, onde se realizará a cerimônia, ganhando pelo menos um. A aposta mais fácil é na categoria de coadjuvante, embora as demais indicadas sejam todas muito boas. Hermilla terá concorrentes mais duras, na categoria principal, em duas atrizes igualmente admiráveis – Carla Ribas, a Alice, e Andréa Beltrão, indicada por JOGO DE CENA.

O documentário de Eduardo Coutinho compete com SANTIAGO, mas só João Moreira Salles foi indicado para melhor diretor. O prêmio contempla o melhor filme estrangeiro. É uma das categorias em que existem seis, e não apenas cinco tradicionais indicados. Se o colegiado da academia fizer a coisa certa, Pedro Almodóvar leva, por VOLVER. Mais um Se… Se o Grande Prêmio Vivo for comparado ao Oscar – mas a brasileira e a norte-americana são cinematografias muito diversas; a nacional não tem o peso industrial da outra -, teremos hoje o Grande Prêmio Vivo Especial, o Oscar honorário, de carreira, do cinema brasileiro. Renato Aragão sobe ao palco para receber o reconhecimento de seus pares, ele que acaba de concluir no sábado, em São Paulo, a rodagem de seu 47º filme – O GUERREIRO DIDI E A NINJA LILI, com direção de Marcus Figueiredo. A relação dos principais indicados você confere aqui!

Por Luiz Carlos Merten (Estado SP)

Article Categories:
AWARDS

Deixe uma resposta