Mundo Oscar 2008 | Diretor


ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ
Joel & Ethan Coen
Trailer | Crítica | Site Oficial

Entre as categorias técnicas, eis uma das mais esperadas pelo público, crítica e artistas. A escolha do Melhor Diretor geralmente acaba revelando o último prêmio da festa, o de Melhor Filme. Das últimas quatro premiações do Oscar, apenas em 2006 o vencedor das duas categorias não coincidiu. E, neste ano, até existe a expectativa de uma ‘dobradinha’ – já que quatro filmes disputam simultaneamente as duas estatuetas. Porém, o equilíbrio entre os concorrentes deve pesar mais.


SANGUE NEGRO
Paul Thomas Anderson
Roteiro | Trailer | Crítica | Site Oficial

Não há como apontar um favorito ao prêmio de Melhor Diretor. Cada um, a seu modo, fez um trabalho brilhante em filmes com temáticas e, até mesmo, gêneros diferentes. Contribui para a incerteza o fato de que nenhum dos cinco, ou melhor seis – porque temos dois irmãos na disputa –, jamais venceu nesta categoria.


O ESCAFANDRO E A BORBOLETA
Julian Schnabel
Trailer | Crítica | Site Oficial

Para confundir um pouco mais, o Globo de Ouro foi para o diretor Julian Schnabel pela produção francesa O ESCAFANDRO E A BORBOLETA, que, apesar de todos os elogios da crítica, foi considerada uma grata surpresa ao deixar os mais badalados Paul Thomas Anderson (SANGUE NEGRO) e os irmãos Joel e Ethan Coen (ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ) para trás.


JUNO
Jason Reitman
Roteiro | Trailer | Crítica | Site Oficial

Porém, tanto Anderson quanto os irmãos Coen vêm gabaritados pela popularidade de seus trabalhos e por terem o maior número de indicações na festa: oito, cada um. Mas, nessa fase mais “antenada” do Oscar, é possível que diretores com menos currículo surpreendam. Afinal, os cinco indicados não são exatamente o tipo de filme que já foi premiado pela Academia.


CONDUTA DE RISCO
Tony Gilroy
Roteiro | Trailer | Crítica | Site Oficial

Em seu segundo longa, a comédia indie-juvenil JUNO, Jason Reitman fez o suficiente para já ser rotulado como a “grande promessa da sétima arte”. Já Tony Gilroy fez ainda mais bonito. Reconhecido pelo trabalho como roteirista, logo na estréia à frente de CONDUTA DE RISCO, já garantiu presença entre os melhores da Direção. Enfim, independente do nome que vier após a famosa frase “and the Oscar goes to…”, a estatueta dourada estará em boas mãos.

Article Tags:
· ·
Article Categories:
AWARDS

Comments

  • Tim Burton e Sean Penn cabiam nesta categoria. Nos lugares de Jason Reitman e Julian Schnnabel.

    Héber Ribeiro 13 de fevereiro de 2013 18:14 Responder
  • Olá Marfil, sou da Agência WEBTraffic e temos uma proposta para anunciar de hoje até sábado aqui no seu site.
    Entre em contato assim que possível.
    (11)35864232 ramal 37

    Obrigada,

    Priscilla

    Pri 20 de fevereiro de 2008 18:20 Responder
  • Não tem como os irmãos Coen perderem aqui. Fico feliz pelo reconhecimento da dupla (tardio, mas merecido), porém prefiro o Tony Gilroy aqui – ainda que não tenha visto “Sangue Negro” e “O Escafandro”. Ficarei feliz com a vitória de qualquer um, mas seria muito bom se o Paul Thomas Anderson vencesse…

    Vinícius P. 20 de fevereiro de 2008 12:50 Responder

Deixe uma resposta