Mundo Oscar 2008 | Direção de Arte & Cenários

A Direção de Arte é geralmente dividida entre desenho de produção (Ou seja, a concepção do storyboard, a ambientação e a cenografia do filme) e a decoração de sets que basicamente é o trabalho de disposição de objetos, mobiliário e adereços usados nos filmes. Evidentemente, tudo adequado ao período histórico em que passa a estória. Portanto, os indicados quase sempre são filmes de época ou ficção-fantasia, sendo muito raro um filme contempôraneo ser indicado. Ao lado da fotografia, são os grandes responsáveis pelo visual do filme.


DESEJO E REPARAÇÃO
Sarah Greenwood & Katie Spencer
Trailer | Crítica | Site Oficial

Apostando em uma proposta clássica, Sarah Greenwood empresta ao drama DESEJO E REPARAÇÃO, de Joe Wright, um ar de elegância perdida em figurino que capta toda a essência de época pontuada por amores inatingíveis – explorado por meio das agruras amorosa do casal Cecilia (Keira Knightley) e Robbie (James McAvoy) – e tragédias humanas à vista (2ª Guerra Mundial). A reprodução do subúrbio inglês, com suas calçadas claras e construções em tijolos, estão impecáveis. Bem como a recriação da praia de Durdink, que rendeu uma cena antologica ao filme.


SWEENEY TODD
Dante Ferretti & Francesca Lo Schiavo
Trailer | Crítica | Site Oficial

O desenho de produção do lendário Dante Ferreti para SWEENEY TODD parece uma aposta acertada para direção de arte. Se a Academia nunca foi justa com a filmografia de Tim Burton, pelo menos o trabalho de Ferreti é bem aceito. Ele já foi indicado 7 vezes na categoria e ganhou em 2004 com O AVIADOR. Aqui, seu trabalho explode numa Londres escura, gótica, repleta de podridão e linhas retas. Um trabalho minimalista, mas ao mesmo tempo rico e pontual.


SANGUE NEGRO
Jack Fisk & Jim Erickson
Roteiro | Trailer | Crítica | Site Oficial

Dono do Prêmio do Sindicato, o CDG Awards, SANGUE NEGRO aos poucos, se tornou o grande favoríto. A exemplo de SWEENEY TODD, o trabalho aqui também é minimalista. Grandes paisagens desertícas pontuadas com um ou casebre. O destaque fica pelas imponentes torres de perfuração, a igreja de Paul Dano e a imponente mansão de Day-Lewis em franca citação à mansão de Orson Welles em CIDADÃO KANE.


A BÚSSOLA DE OURO
Dennis Gassner & Anna Pinnock
Trailer | Crítica | Site Oficial

A BÚSSOLA DE OURO, assinada por Dennis Gassner, ainda que não tenha o prestígio das bilheterias, fez um bom trabalho. São detalhes arte déco que esculpem formas surrealistas, bordadas com efeitos especiais computadorizados. O longa também disputa a categoria de Melhor Efeito Visual. E como lá, aqui também não ganha


O GÂNGSTER
Arthur Max & Beth A. Rubino
Trailer | Crítica | Site Oficial

Marcado pela estética subversiva do submundo nova-iorquino, o trabalho de Arthur Max, de O GÂNGSTER, do britânico Ridley Scott, impressiona pelo realismo. Forte candidato ao páreo, o filme conduz o público por uma alameda de carrões e trajes de época que denotam não apenas glamour e luxo, mas a posição e status na escala do crime. Mas o trabalho de Scott se atém a fazer apenas ajustes no roteiro. E isso não poderia ser considerado um capitulo a parte.

Article Categories:
AWARDS

Comments

  • Prêmio muito merecido. Sem dúvida o melhor Desenho de Produção daquele ano.

    Héber Ribeiro 18 de fevereiro de 2013 20:53 Responder

Deixe uma resposta