Mundo Oscar 2008 | Filme Estrangeiro


12
Nikita Mikhalkov | Rússia
Trailer | Crítica | Site Oficial

Doze homens são encarregados de julgar uma adolescente tchetchena suspeita de matar o padrasto russo. Remake de DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA (1957). Terceira indicação de Mikhalkov, que já venceu em 1994 com O SOL ENGANADOR.


BEAUFORT
Joseph Cedar | Israel
Trailer | Crítica | Site Oficial

Pelotão de jovens soldados israelenses é encarregado de explodir o forte Beaufort, ato que marca o fim da retirada do exército israelense do Líbano. O filme deu a Cedar o prêmio de melhor direção no Festival de Berlim no ano passado.


OS FALSÁRIOS
Stefan Ruzowitzky | Áustria
Trailer | Crítica | Site Oficial

Presos pelo regime nazista, um famoso escroque judeu e um grupo de profissionais com habilidades manuais são forçados a produzir moeda falsa, a ser usada pelo Reich. Baseado num episódio real.


MONGOL
Sergei Bodrov | Cazaquistão
Trailer | Crítica | Site Oficial

Biografia da juventude de Genghis Khan, que viveu como escravo antes de se tornar conquistador de um império, que se estendeu da Coréia à Hungria. Sergei Bodrov já havia sido indicado ao Oscar de filme estrangeiro em 1996, com PRISIONEIRO DAS MONTANHAS.


POST MORTEM
Andrzej Wajda | Polônia
Trailer | Crítica | Site Oficial

A história do massacre de milhares de poloneses prisioneiros de guerra cometido pelo serviço secreto russo, em 1940. Aos 81 anos, o veterano Wajda já levou um Oscar honorário em 2000 e foi indicado em outras ocasiões. O resgate de um importante episódio histórico tem tudo para agradar aos votantes da Academia.

Wajda, 81, é um dos principais nomes do cinema do leste europeu. É precursor do movimento semelhante ao nouvelle vague que ditou as tendências do cinema francês nos anos 60. Ganhou notoriedade internacional com CANAL (1957, Prêmio da Crítica em Cannes) e CINZAS E DIAMANTES (1958, Prêmio da Crítica em Veneza). E em 1980 seu O MAESTRO, venceu o Urso de Prata em Berlim.

Falta um Oscar… Ele já tem uma estatueta, um “Oscar Honorário”, mas nunca ganhou um em disputa “oficial”. E olha que já concorreu 7 vezes… Seu filme não é o melhor filme “estrangeiro” do ano, mas dada às circunstâncias é um candidato forte. E principalmente: Não é FAVORITO!

Falar em favorito na categoria não traz bom agouro. É uma palavra “amaldiçoada” que compete ao austríaco OS FALSÁRIOS. Uma história real, um filme de crime, bem fotografado e com trilha hollywoodiana. A campanha da Sony Classics também ajuda no buzz. Enfim, é um filme que tem tudo para ganhar, exceto pelo fato de ser favorito…

O russo 12 é um forte contender. Encantou o público em Cannes e têm como principal vantagem ser remake de um dos filmes mais engenhosos do cinema: DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA, de Sidney Lumet. Estaria mais forte se ANTES QUE O DIABO SAIBA QUE VOCÊ ESTÁ MORTO do diretor original estivesse mais presente entre os indicados. Sei lá, invocaria uma áurea de nostalgia irresistível. No entanto ainda é um candidato forte. Seria mesmo se protagonizado pela Xuxa. Simplesmente não há erro com esse roteiro.

MONGOL conta a história de Gengis Khan pelo seu próprio povo. É uma super produção do país, Tecnicamente impecável. O pôster e o trailer já demonstram isso. É como os ingleses fazendo filme de sua realeza. Há um senso de respeito, carinho. Seria um Oscar inusitado, mas provável.

Por fim, BEAUFORT. É um filme comum, muito bem feito, é verdade, mas sem nada para acrescentar. Acho que foi indicado por culpa da Academia em rejeitar o também israelense A BANDA.

Enfim, OS FALSÁRIOS é favorito ao OSCAR de Filme estrangeiro. POST MORTEM é “você sabe o quê…”.

Article Categories:
AWARDS

Comments

  • Na última semana eu percebi um ligeiro crescimento na expectativa de MONGOL ser indicado. Como uso critérios estátisticos, esse avanço não foi suficiente para considerá-lo indicado. Agora BEAUFORT, realmente foi uma surpresa. Filme bobo…Não se esqueçam que ainda A ERA DA INOCÊNCIA também ficou de fora e é espetacular!

    Marfil 2 de fevereiro de 2008 10:06 Responder
  • “Os Falsários” também é meu palpite para essa categoria, se bem que o “Katyn” também está super cotado. Acho que fica entre os dois mesmo. E de que maneira “O Ano” perdeu sua vaga para filmes como “Mongol” e “Beaufort”? Inexplicável…

    Vinícius P. 1 de fevereiro de 2008 20:07 Responder
  • Com essa matéria, agora estou mais bem informado a respeito de BEAUFORT; parece que OS FALSÁRIOS leva então, a não ser que 12 lhe dê um olé.

    Gustavo H.R. 1 de fevereiro de 2008 18:36 Responder

Deixe uma resposta