Papai em pânico

O roteirista, diretor e produtor Judd Apatow (que estreou como diretor em O VIRGEM DE 40 ANOS) construiu sua reputação nas duas últimas décadas com um estilo de comédia que costura o real com o hilariante, ou seja, sua comédia é ultrajante, honesta e humana.

Em LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS, o diretor foca sua atenção nas delicadas questões do amor e do casamento, e nas situações engraçadas que resultam da exploração desses temas. A idéia para uma comédia sobre um casal bastante incomum e as complicações que surgem após um único encontro foi inspirada, em parte, pelo jovem ator, e também produtor executivo, Seth Rogen, e a conversa que os dois tiveram após o sucesso de O VIRGEM DE 40 ANOS. “Conversávamos sobre escrever alguma coisa para ele, e ele só tinha idéia de filmes de ficção científica monumentais. E eu disse: ‘Set, você não precisa de uma idéia grande para ser engraçado. Em O VIRGEM, você é engraçado só de ficar ali em pé e falar. Só é preciso ter uma situação que seja engraçada de estar envolvido, como arranjar uma garota grávida. E você vai ser engraçado porque é você’”, lembra o cineasta.

A notícia de que Seth Rogen estaria estrelando a próxima comédia do diretor foi uma enorme surpresa para o ator, como conta: “Judd estava decidindo o que ia fazer depois de O VIRGEM, e quando nos reunimos na Universal para falar sobre outro filme, ele disse: ‘Queremos fazer LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS, uma história sobre uma única transa que faz com que o Seth tenha que lidar com uma garota grávida.’ Eu não acreditei!”. Judd Apatow explica: “Existem muitos filmes, incluindo O VIRGEM, sobre adultos que não querem crescer. Acho que o motivo disso é o fato de que, à medida que os comediantes vão envelhecendo, é mais engraçado interpretarem pessoas imaturas do que maduras!”.

O diretor queria que o Ben fosse o tipo de cara “que não tem outra escolha senão crescer, porque ele engravidou alguém muito cedo e agora tem que ser um adulto, goste ou não”. Judd Apatow dá mais detalhes: “É um filme com o mesmo espírito de O VIRGEM DE 40 ANOS, cheio de baixarias, mas cheio de boa intenção. Basicamente, tentei fazer esses filmes tendo em mente o desejo de mostrar alguém que se esforça para não ser um otário. Qualquer história sobre a jornada de alguém para ser uma pessoa melhor, e sobre o que é preciso para chegar lá, é sempre muito engraçada para mim”.

Enquanto Judd Apatow leva o crédito de ajudar a reviver um gênero clássico do cinema — a comédia R-rated [classificação que, nos Estados Unidos, permite que um menor só possa assistir ao filme acompanhado de um responsável] — os críticos e o público concordam que, no centro de toda a obscenidade, o que pulsa é o coração, a emoção. Isso só é conseguido quando os cineastas encontram os atores coadjuvantes certos para fazerem o público rir e se emocionar simultaneamente. De fato, reunir talentos engraçados é fundamental para o processo de escalação de Judd Apatow. E, mais uma vez, o diretor quis escalar atores capazes de marcarem um equilíbrio delicado de uma comédia profana com diálogos profundos e sensíveis.

O cineasta explica que seu estilo de direção é fluido e animado, permitindo que cada ator possa contribuir continuamente numa dada situação. Ele é conhecido por deixar a câmera rodar “até o rolo acabar”. Os atores interpretam a cena, fazem várias improvisações baseados no roteiro e ainda são alimentados por novas falas pelo próprio Apatow enquanto a câmera está ligada. Os amigos de Ben, Jonah, Jason, Jay e Martin, são interpretados pelos verdadeiros melhores amigos de Seth Rogen. E por conveniência, compartilham os mesmos nomes dos atores. Judd Apatow insiste que escalar as pessoas que ele gosta facilita seu trabalho: “Não preciso me esforçar muito, basta dizer: ‘Sentem-se, conversem e criem constrangimento um para o outro’, e eu sei que eles farão isso. É uma ótima opção para um roteirista-diretor preguiçoso. E também fui bastante preguiçoso quando decidi nem me importar em mudar os nomes dos caras, exceto o do Seth”.

Fã de longa data do poeta e cantor de folk music Loudon Wainwright III, Judd Apatow convidou-o para criar a trilha para sua nova comédia. “Eu sabia que ele traria um som imprevisível e emocional para o filme. Sou fã do Loudon desde criança, e sabia que ele podia fazer isso. Fiz com que ele aparecesse em UNDERCLARED, e ele também fez o papel de um padre em O VIRGEM DE 40 ANOS. Em LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS ele faz o papel do Dr. Howard, o ginecologista da Alison. Gosto da idéia de expor um novo público ao cantor que me afetou quando eu era criança”.

O diretor resume: “De várias formas, LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS tem uma história mais sofisticada que o meu último filme. Em seu centro, está a idéia da família e dos sacrifícios que fazemos para termos filhos. É também um filme sobre a dificuldade que os casais têm de se entenderem nos momentos de estresse. E é também, felizmente, um filme sobre o amor e as pessoas que tentam aprender a se relacionar com estranhos com quem passaram uma noite”.

Críticas:

LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS: Gravidez Inesperada

Article Categories:
MAKING OF

Comments

  • Sem dúvida um dos melhores filmes do ano – a melhor comédia, com certeza. É incrível como esse filme do Judd Apatow me conquistou, realmente fiquei surpreendido. As atuações da Katherine Heigl e da Leslie Mann são ótimas.

    Vinícius P. 28 de setembro de 2007 20:25 Responder
  • Ta tudo bem ai,Marfil sumido??

    Abração!!

    DO 27 de setembro de 2007 13:28 Responder

Deixe uma resposta